Mês(s): março 2018

mar26

Escolher um parceiro com quem passar o resto da vida provavelmente é uma das decisões mais difíceis que qualquer um de nós tomará ao longo da vida. Os critérios são subjetivos em relação à cada pessoa, mas é necessário pensar bem. Afinal, essa escolha pode afetar sua saúde, sua forma de reagir ao estresse e até sua visão de mundo.

Pensando nisso, o professor de psicologia da Universidade Monmouth, nos Estados Unidos, Gary W. Lewandowski Jr., desenvolveu uma lista de perguntas que podem ajudar quem está em dúvida do que procura. Ele se inspirou no conceito da Lista Keltner, que decide, por meio de conceitos objetivos e subjetivos, quais jogadores de beisebol dos Estados Unidos merecem estar no Hall da Fama do esporte.

Segundo o psicólogo, a ideia é usar os instintos respondendo a questões formuladas a partir de pesquisas científicas sobre comportamento e relacionamentos.

Confira as perguntas:
1) Como o seu parceiro te torna uma pessoa melhor e como você faz o mesmo por ele?

2) Você e seu parceiro se sentem confortáveis para compartilhar sentimentos, contar um com o outro, ficar próximos e parar de se preocupar com a possibilidade de um término?

3) Você e seu parceiro aceitam um ao outro por quem são, sem tentar mudar o outro?

4) Vocês se comunicam de forma respeitosa ou desrespeitosa quando discutem?

5) Vocês dividem as decisões, poder e influência no relacionamento?

6) Seu parceiro é seu melhor amigo? Você é o dele?

7) Vocês pensam mais em “nós” do que em “eu” e “você”?

8) Você e seu parceiro compartilham as senhas bancárias e redes sociais um com o outro?

9) Vocês veem um ao outro como boas pessoas?

10) Seus amigos e os amigos do seu parceiro acreditam que vocês têm um bom relacionamento e que vai durar?

11) O seu relacionamento está livre de maus sinais como traição, ciúmes e comportamento controlador?

12) Você e seu parceiro compartilham os mesmos valores políticos, religiosos, matrimoniais e parentais?

13) Vocês estão dispostos a sacrificar seus próprios desejos, necessidades e objetivos um pelo outro sem serem empecilhos?

14) Você e seu parceiro são maleáveis e emocionalmente estáveis?

15) Vocês são sexualmente compatíveis?

A ideia é responder as perguntas com sim ou não. “Lembre-se que o teste não se trata de notas e desempenho, mas de um guia para o que realmente importa em relacionamentos. Tendo dito isso, a melhor resposta para todas as perguntas é um ‘sim’ rápido e certeiro”, escreve o cientista no The Conversation.

Ele ressalta que, na hora de tomar decisões importantes, quanto mais informações você tiver, melhor, então não hesite em fazer perguntas para familiares, amigos e, claro, a si mesmo. Vale o experimento.

 

Fonte: https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2018/02/15-perguntas-que-vao-determinar-se-seu-relacionamento-vai-durar-ou-nao.html

mar19

Eles haviam sido casados por 50 anos e para aliviar a dor passaram a jogar cartas; assim se conheceram e mostraram que nunca é tarde para o amor.

Tanto Nancy, de 77 anos, quanto J.C., de 83 anos, foram casados com outros parceiros por cerca de 50 anos e ficaram viúvos. O marido de Nancy lutou contra a doença de Parkinson e a demência, já a esposa de J.C. sofria de Alzheimer. Depois das perdas, ambos passaram a jogar cartas para aliviar o estresse diário, e o diretor do clube em que jogam sugeriu, certa vez, que eles se tornassem parceiros. Logo os idosos viraram amigos e não imaginavam que a essa altura da vida um novo amor pudesse surgir.

Divulgação/Jamie Vinson

Os idosos tiveram um casamento emocionante. J.C. não conteve as lágrimas e se emocionou durante toda a cerimônia

Passando ainda mais tempo juntos jogando cartas, eles descobriam que compartilhavam outros interesses em comum como livros, música, teatro e uma imensa vontade de viajar. Fora isso, os idosos estavam sofrendo com a perda de seus parceiros e passaram a se apoiar mutuamente. Desta amizade floresceu um amor e então eles decidiram se casar.

Como o momento era muito especial, a filha de Nancy fez questão de contratar a fotógrafa Jamie Vinson. “Quando ouvi a história me senti inspirada e honrada por ter a chance de documentar este dia incrivelmente especial”, afirma a profissional em relato ao site “Love What Matters”.

Detalhes do grande dia

Ao chegar ao local do casamento, a fotógrafa viu Nancy se arrumando: “Ela me cumprimentou com um grande abraço e me disse que estava muito empolgada e um pouco nervosa”.

O local onde a cerimônia aconteceu foi decorado de forma simples e pétalas de rosas brancas formaram o corredor que a noiva entraria. “Os convidados começaram a chegar e ficou claro que era um dia alegre e significativo para todos os envolvidos. Foi nessa hora que finalmente conheci o noivo e percebi o quanto ele era carismático e espirituoso”, conta Jamie.

Lágrimas rolaram

O momento que mais emocionou a todos foi quando J.C. viu Nancy entrar pelo corredor com um belo vestido azul. O idoso apaixonado não conteve as lágrimas, deixando todos os convidados comovidos. A emoção dele se tornou ainda mais evidente à medida que trocaram os votos, e a fotógrafa registrou tudo.

Divulgação/Jamie Vinson

Após dizer “sim”, o casal aproveitou para beber juntos o drink favorito deles e depois aproveitaram a festa

Após dizerem “sim”, adivinha o que eles fizeram?! Foram tomar a bebida favorita deles, um drink chamado “margaritas”. O casal não escondeu a felicidade e a fotógrafa fala que em seus rostos era possível ver o quanto estavam realizados. A recepção aos convidados foi alegre e com muita dança e também contou com um delicioso jantar.

Jamie diz ainda ter ficado empolgada com esse trabalho porque acredita que a história dos idosos é inspiradora: “Este dia incrivelmente especial foi um lembrete de que devemos viver todos os dias das nossas vidas de forma absoluta e nunca é tarde para o amor. Um grande agradecimento a Nancy e J.C. por me deixarem documentar seu dia maravilhoso do casamento”.

Fonte: Delas – iG @ http://delas.ig.com.br/amoresexo/2018-03-16/casamento-idosos-emocionante.html

mar12

Nem todo amor do mundo basta para manter um relacionamento. É preciso também ter respeito, paciência e saber aceitar as diferenças dos parceiros. Mas a vontade de fazer dar certo e de construir uma relação duradoura faz com que muitas mulheres, mesmo com as melhores intenções, ajam de forma impulsiva e acabem tendo um resultado contrário ao esperado, prejudicando a relação e às vezes até fazendo com que ela chegue ao fim.

“É preciso que homens e mulheres vivam relações de trocas, parcerias e de tolerância as diferenças. Relações mais imaturas são baseadas em competição, poder x submissão, força x fraqueza e esses comportamentos são motivo de afastamento de ambos os parceiros pois produzem relações hierarquicamente desniveladas”, explica a psicóloga Cristiane Pertusi.

Principais erros nos relacionamentos

Ela diz que uma das principais atitudes que as mulheres fazem errado na relação é se casar rápido demais a apaixonada demais, sem ter tipo tempo para uma convivência maior com o namorado. “Vejo que muita gente se casa sem ter claro se a escolha do parceiro é boa, se há compatibilidade de estilos para convivência… O que importa é casar. A escolha é feita no momento de muita idealização e simbiose da relação”, diz.

Isso acontece porque, ainda hoje, a sociedade vê o casamento como uma necessidade, especialmente para as mulheres. “Às vezes existe certo status em dizer que se casou, que não ficou ‘para titia’. Mesmo que tenha ficado casada por pouco tempo, pois o status de ser separada é melhor e mais confortante internamente do que ser ‘solteirona’”, afirma.

A facilidade com que as pessoas se separam também é um erro, já que leva muita gente a se casar acreditando que, se não der certo, basta se separar. “É quase como se o casamento fosse o objetivo final e não o começo. Isso resulta em períodos de casamento com tempo ‘relâmpago’”, diz.

Ela diz que, para casar, é preciso refletir sobre seu estilo, seus costumes e sobre a capacidade de compartilhar, dividir e partilhar ideias e posturas diárias, pensar que o casamento é o começo de uma vida a dois, de um trilhar juntos que requer tolerâncias às diferenças e ao desejo do outro. “A chave para relacionamentos duradouros é maturidade emocional de seus parceiros. E quando houver crises no casamento, que ambos tenham motivação para superar juntos”.

A psicóloga destaca ainda a importância de a mulher ter independência profissional e financeira, mas se não souber lidar com essa autonomia e dosar a liberdade, pode ser um fator de dificuldade para manter uma relação afetiva. “Para poder relacionar-se com outra pessoa é preciso saber estar junto com certo grau de equilíbrio, onde ambos permitem-se brilhar, ora um tem prioridade ora o outro… E esse movimento emocional requer certo grau de maturidade e disponibilidade interna emocional de ambos”, diz.

 

Link: https://www.vix.com/pt/bdm/amor/erros-que-acabam-com-os-relacionamentos / Por MARIANA BUENO

mar05

Uma sutil mudança de ângulo já é capaz de transformar o que estava incômodo e monótono em algo muito mais prazeroso.

Nem sempre é fácil chegar ao orgasmo em uma relação sexual e, para muitas mulheres, a penetração não é algo tão prazeroso assim. Pois uma pesquisa feita pelo site “OMGYes”, dedicado a explorar e falar mais sobre o prazer feminino, e compartilhada pelo site da revista “Cosmopolitan” no começo do ano, traz dicas simples que podem melhorar esse momentono sexo.

Movimentos e medidas simples ajudam a ter mais prazer na penetração
shutterstock

Movimentos e medidas simples ajudam a ter mais prazer na penetração

1. Mexa-se até sentir que está na posição correta

Mais importante do que a posição escolhida para o ato sexual é prestar atenção ao ângulo que o pênis está penetrando a vagina e o quanto o clitóris está sendo friccionado pelos corpos durante a relação. Portanto, mexa-se até encontrar o melhor “encaixe”.

Para ajudar, é possível usar acessórios bem simples, como um travesseiro, ou migrar do meio para ponta da cama. Seja qual a posição preferida pelo casal, ângulo é tudo para que a mulher sinta prazer e não desconforto ou incômodo na relação.

2. Na dúvida, faça menos “vai e vem”

Estimular o clitóris é, geralmente, uma ótima maneira de levar à mulher ao orgasmo. Entretanto, muitas vezes há movimentos amplos do pênis entrando e saindo da vagina e, com isso, há a perda do contato entre os corpos.

A dica aqui é se manter mais “grudado” e evitar o “vai e vem” completo. Movimentos mais curtos e em outras direções – o circular no lugar no vai e vem, por exemplo – podem ajudar a mulher a curtir mais a relação. Ficar um tempinho “lá dentro” também é uma maneira de a mulher sentir mais o contato do corpo do parceiro com toda sua região íntima.

3. Atenção ao clitóris, sempre ele

Já deu para notar que, de acordo com a pesquisa, lembrar-se do clitóris também na hora da penetração é importante. Portanto, se escolher uma posição na qual os corpos não fiquem tão grudados e não aconteça essa estimulação, lembre-se de usar as mãos ou brinquedos eróticos nesta área. Dados mostram que a estimulação clitoriana, independente da posiçao sexual, aumenta em quatro vezes a chance de um orgasmo feminino.

 

Fonte: Delas – iG @ http://delas.ig.com.br/amoresexo/2018-03-04/mais-prazer-penetracao.html

Olá! Clique em um dos nossos representantes abaixo para ter atendimento online.

Atendimento Online pelo WhatsApp